Yacht Club Paulista reverencia a história da vela brasileira

286428_614139_p1040416_web_

O Yacht Club Paulista (YCP) resgatou neste fim de semana (18 e 19) momentos marcantes da vela brasileira retratados por barcos e velejadores no inédito Classic Sailing Festival. O evento na Represa Guarapiranga incluiu o primeiro Campeonato Brasileiro de Clássicos, homologado por CBVela e Fevesp e atraiu campeões olímpicos, mundiais e pan-americanos como Alex Welter, Bruno Prada, Lars Grael, Jorginho Zarif e Mário Buckup.

Mais de 40 barcos históricos competiram nas classes: Snipe, Ligtning, Star, Sharpie, Pinguim e Iole Olímpica, em que velejou o medalhista Lars Grael. “Precisamos ter orgulho do passado e sustentarmos o presente com ações como esta para alimentarmos a esperança no futuro. Reinaldo Conrad desbravou a vela para o Brasil e depois veio Joerg Bruder. Eles abriram o caminho. É muito justa também a homenagem a Guga Zarif”, afirmou Lars, entusiasmado com a iniciativa do YCP, que reuniu velejadores de São Paulo, Santos, Rio de Janeiro, Brasília e Porto Alegre.

Além de manter viva a memória dos campeões, a filosofia do YCP é de fortalecer a vela por meio de eventos como o Classic Sailing Festival. “É importante nos empenharmos pela união dos clubes da represa em favor da preservação da Guarapiranga. Com a vela ativa, conquistaremos cada vez mais adeptos e sabemos que a evolução passa pelo aprendizado”, sustentou o Comodoro do YCP, José Agostini Roxo.

A confraternização entre velejadores de três gerações contou com participação efetiva da Marinha do Brasil, parceria imprescindível para garantir a segurança dos velejadores. “A sociedade precisa ter um espírito marítimo e o YCP está cumprindo muito bem a missão de despertar essa consciência em seus associados”, observou o vice-almirante Castilho, comandante do 8º Distrito Naval. “Os barcos são de madeira, mas os homens têm de ser de ferro”, concluiu o comandante, após receber o título de sócio honorário do YCP.

Saudade e esperança – A emoção da cerimônia em memória dos velejadores Guga Zarif e Joerg Bruder contagiou associados e participantes do Classic Sailing Festival. Na homenagem a Guga, Joerg também foi lembrando por velejadores que resgataram histórias, comovendo amigos e familiares como Jorginho Zarif, filho de Guga, em campanha olímpica para os Jogos Rio 2016 na classe Finn, a mesma em que o pai correu nas Olimpíadas de Los Angeles (1984) e Seul (1988).

A reverência a Guga abriu o domingo na sede social do YCP e contou com o tetracampeão mundial de Star, Bruno Prada; o campeão olímpico de Tornado, Alex Welter, o bicampeão pan-americano de Lightning, Mário Buckup, entre outros velejadores. Bruno, ganhador de duas medalhas olímpicas, não conteve as lágrimas ao falar do amigo. “O Guga foi um dos meus maiores adversários na água, mas quando retornávamos ao clube, dividíamos a pizza”.

O clima de saudade no YCP transformou-se em esperança no momento em que Jorginho também participou da homenagem. “Quando meu pai faleceu, em 2008, eu tinha 15 anos e ainda não sabia ouvi-lo atentamente, mas hoje sinto que sou a continuidade dele. A maioria dos meus amigos atuais também eram amigos dele, que sempre me dizia: ‘Escolhe bem com quem você anda’. E percebo que isso é muito importante”, lembrou o mais jovem campeão mundial de Finn da história.

Troféu Joia Clássica – Grupo formado pelo diretor da Comissão de Regatas (CR), Dionysio Sulzbeck, vice-almirante Castilho e presidente do Conselho do YCP, Frederico Hackerott, inspecionou detalhadamente os barcos clássicos e conferiu o prêmio de beleza, conservação e navegabilidade ao Luna Blue (Star). O Bonifa (Simplet) ficou em segundo lugar, seguido pelo também impecável Kinko (Iole Olímpica).

“O YCP aposta na recuperação e no fortalecimento da vela não apenas na represa, mas em todo o País. Precisamos incentivá-la, do lazer ao alto rendimento, principalmente com a consciência de preservação da água, tanto para consumo quanto para o esporte. A vela é um exemplo de prática sustentável”, defendeu o diretor de Vela do YCP, Alberto Hackerott, um dos idealizadores do Classic Sailing Festival e do Campeonato Brasileiro de Clássicos.

Confira os vencedores do 1º Brasileiro de Clássicos
Lightning – ZRBST (Mário Buckup)
Snipe – 12K (Arthur Santacreu)
Iole Olímpica – Hippie Fish (John Benett)
Sharpie – Nautilus IV (Pedro Boulder)
Pinguim – Varum Bora (Mauro Osório)
Star – Luna Blue (Marcos Szily)

Vencedores da Regata “Homenagem aos Campeões”
Day Sailer – Jurafa (André Esteves)
Flying Dutchmann – Neptunus (Richard Treacher)
Star – Al Hamed (Jorge Zarif/Arthur Lopes)
Laser Standart – YCP (Manfred Kaufmann)
Laser Radial – Moro (Nicolas Garcia)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s