Vela adaptada disputa Paralimpíadas pela última vez

 

13442394_1751692685072655_4848464429584026607_n

A vela está presente nas Olimpíadas desde Paris 1896, porém a vela adaptada só virou oficialmente esporte paralímpico em Sydney 2000. Estiveram em disputa as classes Sonar (que foi apresentada como teste em Atlanta, 1996), adaptada para três velejadores e sem balão, e 2.4, para uma pessoa. A estreia brasileira veio em 2008 na classe Sonar. Em 2012 o país foi representado por Bruno Landgraf e Elaine Cunha na Skud. Bruno volta às raias paraolímpicas em 2016 ao lado de Marinalva Almeida na mesma classe.

Por decisão do Comitê Paralímpico Internacional, a vela não mais fará parte do programa de competições paralímpicas a partir de 2020, porém o que se diz é que há um esforço para que o esporte volte em 2024.

Quem quiser assistir a competição no Rio de Janeiro, pode clicar aqui e garantir o seu ingresso. As regatas começam no dia 12 e seguem até o dia 17 nas raias do Pão de Açúcar e Escola Naval.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s