Equipe Brasileira de Vela Olímpica é definida em Porto Alegre

11MAR17-cbvela-001.JPG

Com caras novas e nomes consagrados, a Equipe Brasileira de Vela está formada para a temporada 2017, a primeira do ciclo olímpico dos Jogos de Tóquio 2020. A definição veio neste sábado, dia 11, último dia de regatas da IV Copa Brasil de Vela, com a decisão dos campeões de cada classe olímpica, nas raias do Guaíba, em Porto Alegre. São eles: Carlos Robles e Marco Grael (49er), Jorge Zarif (Finn), Fernanda Oliveira e Ana Barbachan (470 feminino), Geison Mendes e Gustavo Thiesen (470 masculino), Patrícia Freitas (RS:X feminino), Albert de Carvalho (RS:X masculino), João Pedro Oliveira (Laser), Gabriella Kidd (Laser Radial) e Isabel Swan e Samuel Albrecht (Nacra 17). As campeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze, que participaram esta semana da competição de 49er, serão a dupla da classe 49er FX. O primeiro grande compromisso internacional do calendário é o Troféu Princesa Sofia, em Palma de Mallorca (Espanha), a partir do próximo dia 24.

“É apenas o começo do ciclo olímpico, mas creio que temos muito potencial como dupla”, afirmou Carlos Robles, que nasceu na Espanha mas é filho de mãe brasileira e tem dupla cidadania. “O Marco tem mais experiência que eu, já disputou os Jogos Olímpicos do Rio. Nós fazemos uma boa parceria. Fora da água, somos amigos e temos o mesmo objetivo: sermos os melhores velejadores que pudermos ser”.

A disputa na 49er teve alto nível técnico. Carlos Robles e Marco Grael foram os vencedores com 13 pontos perdidos. Maior medalhista olímpico do esporte brasileiro, Robert Scheidt ficou com a medalha de prata, ao lado de Gabriel Borges (16 p.p.), mostrando evolução e competitividade na primeira disputa na sua nova classe no Brasil. Martine Grael e Kahena Kunze, velejando entre os homens, acabaram em terceiro lugar (29 p.p.).

Em relação aos Jogos Rio 2016, as novidades na Equipe Brasileira são a presença de João Pedro Oliveira na Laser, Gabriella Kidd na Laser Radial e Geison Mendes e Gustavo Thiesen na 470 masculino, além de Albert de Carvalho, que venceu no RS:X masculino na ausência de Ricardo Winicki, o Bimba, velejador que dominou a classe no país nas últimas duas décadas.

Em contrapartida, atletas que ficaram no top 10 nos Jogos Rio 2016 ratificaram nas águas do Guaíba o predomínio técnico em suas classes, com o título da Copa Brasil. Foram os casos de Jorge Zarif (quarto colocado nos Jogos Rio 2016), Patrícia Freitas (oitava nos Jogos Olímpicos), Fernanda Oliveira e Ana Barbachan (oitavo lugar nos Jogos) e Isabel Swan e Samuel Albrecht (décimo).

“Foi um bom resultado. Nos próximos dias já vou embarcar para Palma de Mallorca, que é o primeiro campeonato internacional na Europa este ano. A Copa Brasil serviu como preparação, para tentar melhorar”, disse Jorge Zarif.

De acordo com o regulamento estabelecido pelo Conselho Técnico de Vela (CTV), os atletas vencedores da IV Copa Brasil de Vela passam a integrar o plano de investimento da Confederação Brasileira de Vela (CBVela) para participação nas principais competições internacionais deste ano. Além deles, os velejadores sub-23 mais bem classificados nas suas respectivas classes receberão suporte. Todos serão constantemente analisados no Programa de Desenvolvimento Individual de Atletas durante o ciclo olímpico, até os Jogos de Tóquio 2020. A competição em Porto Alegre também valeu pontos para o ranking mundial da Federação Internacional de Vela (World Sailing).

“Tivemos uma grande competição ao longo dessa semana, demonstrando mais uma vez a qualidade dos velejadores brasileiros. É com satisfação que vemos o surgimento de novos nomes e também a confirmação de atletas com experiência e conquistas internacionais”, afirmou Marco Aurélio de Sá Ribeiro, presidente da CBVela.

KITESURFE

A principal novidade da Copa Brasil foi a estreia do kitesurfe como nova classe da vela. Na categoria Foil, o campeão foi Roberto Veiga, com 12 pontos perdidos. Na Tubular, o vencedor foi Eduardo Fernandes, com 45 p.p. O evento foi válido também como 1ª Etapa do Brasileiro de Hidrofoil.

II COPA BRASIL DE VELA JOVEM

Paralelamente à Copa Brasil, foi disputada a II Copa Brasil de Vela Jovem. Na classe 420, os vencedores foram André Fiuza e Pedro Zonta, com 15 pontos perdidos; na 29er, Lorenzo Bernd e Philipp Rump venceram uma disputa muito equilibrada, com 13 p.p.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s