Emirates Team New Zealand está a quatro vitórias de vencer America´s Cup

O Emirates Team New Zealand começou a disputa pela America´s Cup mostrando que não está para brincadeira e que quer levar a taça de volta para a terra dos Kiwis. O time comandado por Peter Burling venceu quatro das quatro regatas disputadas até agora contra o Oracle Team USA, grande favorito da competição e atual detentor do título. Ganha aquele que fizer sete pontos primeiro.

O time de James Spithill começou com um ponto de vantagem por ter vencido a fase classificatória e por isso, na tabela, o ETNZ soma apenas 3 pontos. Os dois times terão agora cinco dias de pausa até recomeçarem as regatas.

“Estes serão os cinco dias mais importantes desta campanha da America´s Cup. Acho que conseguimos melhorar de sábado, mas está claro que temos que temos que conseguir achar a velocidade em algum lugar, isso não é segredo. Se fossemos forçados a velejar um dia após o outro, estaríamos encrencados. Esta pausa será uma grande oportunidade para seguirmos em frente. Tudo vai ser colocado na mesa, nada fora dos limites, e nos próximos cinco dias nosso incrível time de terra vai olhar todos os aspectos do nosso barco. Nada vai escapar dos nossos olhos. Garanto isso”, disse Spithill.

Apesar de estar com uma boa vantagem, o ETNZ sabe que na America´s Cup tudo é possível. Na última edição, em 2013, o time vencia por 8 a 1, quando viu o Oracle vencer regata após regata e virar o jogo para levar a taça para casa por 9 a 8 na competição disputada em São Francisco, nos EUA. A 34ª edição foi a mais longa em termos de dias de regatas e regatas em si. Desde a 25ª edição a decisão não ficava para a última regata como foi o caso em São Francisco, nos EUA.

As regatas da 35ª America´s Cup voltam no próximo final de semana.

 

Phoenix é campeão brasileiro de HPE25 em Ilhabela

314541_710480_2t7a0312.jpg

O 13º Campeonato Brasileiro de HPE 25 consagrou o veleiro Phoenix com o inédito e mais relevante título nacional da classe. Em oito regatas disputadas no Canal de São Sebastião, o barco do Yacht Club Paulista (YCP) foi soberano entre os 24 inscritos. Obteve três vitórias e descartou como pior resultado um quarto lugar. Fit to Fly e Dom, ambos de Ilhabela, ficaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente.

A tripulação do Phoenix, formada por Eduardo Souza Ramos, André Fonseca (Bochecha), Juninho de Jesus e Amauri Gonçalves, comemorou a conquista com os resultados obtidos de quinta-feira a sábado. As duas regatas previstas para domingo foram canceladas devido à falta de vento. Caso as duas regatas fossem realizadas, bastaria ao Phoenix um sétimo lugar para consolidar o título brasileiro.

“Tivemos três dias de muitos acertos e mantivemos a regularidade de não chegar além da quarta posição. Nossos tripulantes velejaram com muita inspiração e mostraram que estavam bem preparados”, afirmou o comandante Souza Ramos. Em 2016, o Phoenix foi vice-campeão brasileiro. Neste ano, ficou em terceiro no Campeonato Paulista, na Guarapiranga, e em segundo lugar na 2ª Etapa da Copa Suzuki há duas semanas, também em Ilhabela.

Os vice-campeões fizeram o máximo possível para aprimorar o desempenho do Fit to Fly, mas comemoraram com intensidade as medalhas de prata conquistadas na Capital Nacional da Vela. “O Phoenix não deu chances para ninguém. Fez um campeonato perfeito, mas nós estamos felizes e certos que nos esforçamos muito”, considerou o timoneiro do Fit to Fly, Henrique Hadad, o Gigante. “Pelo tamanho (oito metros) e número de tripulantes (quatro), a classe HPE 25 é perfeita para se velejar no Brasil”, concluiu Gigante.

Pela primeira vez no pódio do Campeonato Brasileiro de HPE 25, o timoneiro do Dom, Pedro Lodovici, revelou a tática para manter a regularidade e levar a tripulação à medalha de bronze, mesmo sem vencer regata. “Combinamos para competir de forma conservadora, sem preocupação com a vitória, mas se possível chegarmos sempre entre os seis primeiros. Fomos agressivos apenas nas largadas, sempre fundamentais para se manter na frente em uma flotilha com barcos e tripulações tão iguais”, afirmou o comandante do Dom. O próximo encontro da classe HPE 25 será na Semana de Vela de Ilhabela, de 7 a 15 de julho.

Classificação após oito regatas (com um descarte)
1) Phoenix (Eduardo Souza Ramos): 3+1+(4)+2+3+1+1+3= 14 pontos perdidos
2) Fit to Fly (Henrique Hadad): 2+4+6+3+2+3+(12)+2 = 22 pp
3) Dom (Pedro Lodovici): 7+3+7+5+4+4+3+!17) = 33 pp
4) Ginga (Breno Chvaicer): 11+2+2+1+6+(19)+11+4 = 37+2* = 39 pp
5) Alhena (Mário Tinoco): 8+11+1+4+7+5+4+(18) = 40 pp

*Ginga teve dois pontos acrescidos por penalidade sofrida na quinta regata

Categoria Silver
1) Conquest (Marco Hidalgo) – 62 pp
2) Sururu (Martin Lowy) – 68 pp
3) Pé de Vento (Vasco Simões) – 88 pp