Vento forte marca segundo dia do Mundial Master de Finn

A briga pela liderança do Mundial Master de Finn que está sendo disputado em Barbados está acirrada. Rafa Trujillo, técnico de Jorge Zarif e atual campeão mundial máster caiu para a segunda colocação, enquanto Michael Maier, da República Tcheca, assumiu a ponta. Maier tem em seu currículo nada menos que seis títulos mundiais máster e Rafa sabe que a briga pelo ouro será dura. O vento apertou na terça-feira, chegando a 24 nós na rajada. André Mirsky, único representante brasileiro, finalizou a regata na 22ª colocação, terminando o dia em 33º de 140 inscritos.

“Todos os dias estamos com Recon em terra esperando o vento baixar. No primeiro dia larguei mal e levei um pênalti logo na primeira regata. Na segunda consegui velejar melhor, terminando em 11º. Ontem estava bem na regata, em quinto, mas virei duas vezes no popa. Consegui recuperar pra terminar a regata em 21º. Na divisão das flotilhas acabei caindo no grupo mais forte, que estão chamando de grupo da morte, onde estão todos os melhores do mundo. Dei azar, mas, faz parte! Seguirei dando meu melhor”, disse André.

Para ver o resultado completo clique aqui

 

Rafa Trujillo, técnico de Jorginho Zarif, lidera o Mundial Master de Finn

finn master.jpg

O Mundial Master de Finn começou nesta segunda-feira com quase 140 barcos na raia de Barbados. O espanhol Rafa Trujillo, técnico de Jorge Zarif, largou na frente com duas vitórias em duas regatas. Rafa é o atual campeão mundial e já mostrou que vai brigar para levar o título novamente para casa.

O Brasil está sendo representado por André Mirsky, que estreou na 35ª colocação, com um 28º e um 12º lugares.

Para ver os resultados completos, clique aqui.

 

Classe Finn testará novo formato de competição em Palma

12645059_939142856168044_6648544705676126392_n.jpg

O Trofeo Princesa Sofia é uma das competições mais tradicionais das classes olímpicas mundiais. Todo velejador que sonha em disputar uma Olimpíada tem que competir em Palma de Maiorca. E já pensando nas mudanças que serão feitas em Tóqui0 2020, a classe Finn vai testar um novo formato de competição, que funcionará assim:

Round 1: Rodada de abertura, com nove regatas disputadas entre segunda e quinta-feira em um único grupo. Os dois melhores classificados seguem direto para a final. O terceiro, o quarto e o quinto colocados passam para o Round 3, semi-final.

Round 2: Uma única regata classificatória para a semi-final, com toda a flotilha exceto os top 5 da primeira fase, disputada na sexta-feira. Os cinco melhores passam para a semi-final.

Round 3: Semi-final, disputada na sexta-feira se houver tempo ou no sábado, com oito barcos, sendo os cinco melhores do Round 2 e o terceiro, quarto e quinto colocados do round 1. Os pontos serão zerados e os três melhores passarão para a final.

Round 4: Final, com cinco barcos (três melhores do round 3 e dois melhores do round 1). Os pontos serão zerados e o campeão do evento será o campeão desta regata.

O Brasil será representado por Jorge Zarif, quarto colocado nos Jogos Olímpicos do Rio 2016.

 

Jorge Zarif, da classe Finn, faz bela medal race e fecha Rio 2016 no 4º lugar

zariffinal

O jovem Jorge Zarif, velejador brasileiro da classe Finn, terminou a medal race de ontem, realizada na raia do Pão de Açúcar, na terceira posição e ficou em 4º no geral, a 11 pontos da medalha de bronze. O resultado não era o esperado por Jorginho que sonhava em conquistar uma medalha olímpica em águas brasileiras, mas mesmo assim não deixa de ser uma grande vitória. Jorginho participou dos Jogos de Londres-2012 e saiu de lá sem ao menos disputar a medal race, no 20º lugar geral. Com apenas 19 anos, Jorginho estava com o joelho lesionado e sem apoio para a campanha olímpica. Saiu daqueles Jogos determinado a ser grande em sua classe, a mesma em que seu pai defendeu o país em duas Olimpíadas (Los Angeles-1984 e Seul-1988). Durante os últimos quatro anos Jorginho se dedicou inteiramente à vela e foi campeão mundial júnior e campeão mundial, sendo o atleta mais jovem a conquistar o título. Ele soube aproveitar como ninguém o incentivo que o esporte recebeu nesse ciclo olímpico que antecedeu os Jogos do Rio. Ontem Jorginho não escondeu a decepção do 4º lugar, mas saiu da água já pensando em Tóquio 2020.

A Finn, conhecida como a classe dos gigantes por exigir do atleta peso perto dos 100 kg e altura de mais de 1,80 m, é dominada por atletas mais velhos — Giles Scott, atual campeão olímpico, tem 29 anos. Jorginho ainda tem 23 anos e muitas chances de figurar entre os maiores atletas da classe. Ben Ainslie, dono de três ouros na classe, conquistou a primeira medalha olímpica na Finn aos 27 anos — antes ele velejava de Laser e conquistou uma prata e um ouro. 27 anos será a idade de Jorginho nos Jogos de Tóquio-2020, portanto, se a CBVela e os patrocinadores continuarem investindo em nossos atletas, temos grandes chances nas próximas Olimpíadas.

Giles Scott, da Grã-Bretanha, garantiu o ouro antes mesmo da medal race. Com 29 anos, ele precisou esperar Ben Ainslie se aposentar para, finalmente, brilhar na classe. Com anos de treinamento ao lado da lenda da classe, Giles não decepcionou e garantiu a hegemonia da Grã-Bretanha na classe. Mesmo dominando as regatas, Giles parecia incrédulo com o título antecipado. O americano Caleb Paine também comemorou muito o bronze da classe, a prata ficou com o esloveno Vasilij Zbogar.

finnfinal

Fotos World Sailing

Dia decisivo: Laser, Finn e Nacra 17 disputam medal races hoje na Rio 2016

laserfinals

As classes Laser Standart e Radial, Finn e Nacra 17 terão um dia emocionante hoje, a disputa das medal races – regatas finais – da Rio 2016. O Brasil não terá representante somente na Laser Radial, mas a torcida dos brasileiros deve ficar com a lituana Gintare Scheidt, esposa de Robert Scheidt, que está na briga pela medalha de bronze da classe, mesma situação do marido que corre na Laser Standart e precisa de um ótimo resultado para conquistar sua sexta medalha olímpica. Scheidt já adiantou que vai lutar pela vitória e a disputa promete emoções fortes.

Nas medal races da Finn e Nacra 17 a medalha para o Brasil ficou muito distante. Os brasileiros devem entrar na raia para garantir uma boa colocação na final olímpica e iniciar o ciclo para Tóquio 2020 com o pé direito. Vale ressaltar que Jorginho Zarif, da Finn, e a dupla Samuel Albrecht e Isabel Swan, da Nacra 17, fizeram ótimas regatas e chegaram à final, resultado que já merece exaltação para os velejadores.

As medal races estão marcadas para às 13h05.

Foto World Sailing

 

Giles Scott garante medalha de ouro da Finn antes da medal race na Rio 2016

giles

O velejador britânico Giles Scott garantiu a medalha de ouro da classe Finn na Rio 2016 no fim das regatas classificatórias, que terminaram ontem, e vai para a medal race desta terça-feira (16) sem o compromisso de vencer. O velejador garantiu ótimos resultados na série de 10 regatas acumulando apenas 49 pontos perdidos e assim ninguém mais pode alcançá-lo.

As medalhas de prata e bronze da classe ainda estão em disputa. O brasileiro Jorginho Zarif está classificado para a medal race, mas as chances de alcançar a medalha de bronze são mínimas. Jorginho tem apenas 23 anos e esta é sua segunda Olimpíada. A Finn é uma das classes mais tradicionais do programa olímpico e é dominada por velejadores mais velhos, Giles Scott tem 29 anos e esta é sua primeira olimpíada. Assim como Giles teve que velejar muito na classe para superar o absolutismo de Ben Ainslie, Jorginho ainda tem um longo caminho na classe e ainda pode conquistar muitos títulos para o Brasil.

Confira os classificados para a Medal Race:

1º Giles Scott – Grã-Bretanhda – medalha de ouro garantida
2º Vasilij Zbogar – Eslovênia
3º Ian Kljakovic – Croácia
4º Caleb Paine – Estados Unidos
5º Max Salminem – Suécia
6º Jorge Zarif – Brasil
7º Josh Junior – Nova Zelândia
8º Facundo Bazan – Argentina
9º Pieter-Jan Postma – Holanda
10º Jake Lilley – Austrália

Foto World Sailing

Jorginho Zarif, da Finn, termina o dia na sexta posição geral

160811_RIO2016_pm_20856

Com os resultados de hoje, Jorginho Zarif assume a 6ª colocação geral da classe. Ele correu duas regatas hoje, na raia da Ponte, e terminou as regatas nas 2ª e 13ª posições. Amanhã, dia 14, a classe tem mais duas regatas programadas e Jorginho deve lutar para se manter no top 10 da classe e correr a medal race com chances de medalha.

Foto World Sailing

Jorginho Zarif não faz boas regatas, mas se mantém no Top 10 da Finn

160810_RIO2016_jr_110739

Jorginho Zarif, velejador de 23 anos da classe Finn, não teve bons resultados nas duas regatas realizadas hoje na fase classificatória da Rio 2016. Um 11º e um 22º lugar deixou o brasileiro na 8ª colocação geral, ainda no Top 10 da classe, mas a 20 pontos do líder britânico Giles Scott, favorito ao ouro.

A classe Finn tem duas regatas programadas para esta quinta-feira.

 

Às vésperas das Olimpíadas, Robert Scheidt vence Semana Internacional do Rio

Terminou na última segunda-feira no Iate Clube do Rio de Janeiro a segunda fase da Semana Internacional de Vela do Rio de Janeiro. Quatro classes estiveram na água, incluindo a Laser Standard, que teve Robert Scheidt como campeão, e a Finn, que viu Jorginho Zarif ficar com a prata.

A partir do dia 8 Robert estará nas águas da Guanabara para a disputa da sua sexta e última olimpíada e a SIVRio serviu como um treino, dando mais confiança para o atleta, que brigará pela sua sexta medalha. A classe Laser Standard contou com 34 inscritos, de 24 países e mesmo vencendo apenas uma das oito regatas, Scheidt abriu 24 pontos de vantagem sobre o canadense Lee Parkhill.

Já Jorginho chegou a liderar a competição, porém uma desclassificação por conta de uma bandeira preta na sétima regata fez com que ele caísse para a segunda colocação, encerrando com a prata. O ouro ficou com o neozelandês Joel Junior.

Na Nacra 17, Samuel Albrecht e Isabel Swan acabaram não completando ou não largando em duas das 11 regatas disputadas e encerraram a participação em 9º lugar. O título ficou com o time dinamarquês comandado por Allan Norregaard.

Já na Laser Radial, Annalise Murphy, quarto lugar em Londres 2012, foi a grande vencedora. Fernanda Decnop, que também não largou ou não terminou três das oito regatas, ficou com a nona colocação.

Desde esta terça-feira quem está na água é a turma do 470 masculino e feminino. A competição termina na sexta-feira, dia 22. O resultado completo pode ser visto aqui.