Samuel Albrecht e Isabel Swan classificados para a medal race da Nacra 17 na Rio 2016

nacramedal

Neste domingo (14) a dupla brasileira Samuel Albrecht e Isabel Swan conquistou a vaga para a medal race, a regata que decidirá os medalhistas na classe Nacra 17. Samuca e Bel se classificaram ao somarem 101 pontos perdidos.

As três regatas finais da fase classificatória foram disputadas na raia da Escola Naval após atraso por falta de vento. A dupla teve um dia positivo, conseguindo reverter os resultados do sábado. Na primeira regata fez o sétimo lugar, na segunda chegaram em oitavo lugar, resultado que se repetiu na terceira e última disputa.

Este é um ótimo resultado para a dupla formada há pouco mais de um ano.

Os argentinos Santiago Lange e Cecília Carranza foram os vencedores da série classificatória com 65 pontos perdidos. Santiago é o velejador mais velho da raia com 54 anos, Cecília tem 29.

A medal race da Nacra 17 ocorre na terça-feira (16) a partir das 14h05 na raia olímpica do Pão de Açúcar. Hoje (15) as tripulações classificadas para a medal race descansam e não haverá regatas para a classe.

Foto World Sailing

Brasileiros da Nacra 17 estão na 11ª colocação geral na Rio 2016

The Rio 2016 Olympic Sailing Competition features 380 athletes from 66 nations, in 274 boats racing across ten Olympic disciplines. Racing runs from Monday 8 August through to Thursday 18 August 2016 with 217 male and 163 female sailors racing out of Marina da Gloria in Rio de Janeiro, Brazil. Sailing made its Olympic debut in 1900 and has been a mainstay at every Olympic Games since 1908. For more information or requests please contact Daniel Smith at World Sailing on marketing@sailing.org or phone +44 (0) 7771 542 131.

Isabel Swan e Samuel Albrecht, da Nacra 17, terminam o dia na 11º posição geral e ainda tem chances de entrar na medal race da classe que acontece na terça-feira (16). Os resultados de hoje (12º, 4º e 19º) complicaram um pouco a rota para a medal race da dupla brasileira.

França, Alemanha e Espanha lideram a classe que corre mais três regatas neste domingo (14).

Foto World Sailing

Catamarã Nacra 17 estreia e leva muita emoção para a raia da Rio-2016

The Rio 2016 Olympic Sailing Competition features 380 athletes from 66 nations, in 274 boats racing across ten Olympic disciplines. Racing runs from Monday 8 August through to Thursday 18 August 2016 with 217 male and 163 female sailors racing out of Marina da Gloria in Rio de Janeiro, Brazil. Sailing made its Olympic debut in 1900 and has been a mainstay at every Olympic Games since 1908. For more information or requests please contact Daniel Smith at World Sailing on marketing@sailing.org or phone +44 (0) 7771 542 131.

O vento forte e rondado do começo das regatas da Nacra 17, classe estreante do programa olímpico, ajudou a levar muita emoção para o público que acompanhava as regatas pelo telão instalado na praia do Flamengo. Apesar do show de velocidade para o público, as mudanças de velocidade e direção do vento dificultaram bastante a performance dos velejadores na raia, caso da dupla brasileira Isabel Swan e Samuel Albrecht.

Na primeira regata do dia, a dupla montou a primeira boia do percurso na 2ª posição e continuaram bem na montagem da segunda e terceira boia, montando as duas em terceiro lugar, mas uma mudança brusca no vento levou a dupla para a 12ª posição na última boia e eles acabaram cruzando a linha de chegada na 17ª posição. Já na segunda regata, que teve boas rajadas de ventos que o estrategista Samuca soube aproveitar bem, eles lideraram a disputa de ponta a ponta e acabaram vencendo. Com a terceira regata do dia cancelada por causa da falta de vento, que caiu para cerca de 4 nós no fim da tarde, Samuca e Isabel ficaram na 9ª colocação da classificação geral.

Os velozes catamarãs da Nacra 17 voltam para a água nesta quinta-feira gerando grande expectativa ao público brasileiro que ficou animado com a vitória da dupla brasileira.

Foto World Sailing

 

Isabel Swan e Samuel Albrecht estreiam na Nacra 17 com fortes concorrentes na raia

nacra17

Samuel Albrecht e Isabel Swan estreiam hoje na classe Nacra 17, classe corrida em um barco multicasco com equipe mista que também está estreando nesta Olimpíada. Com uma medalha de bronze, conquistada em Pequim-2008 na classe 470 ao lado de Fernanda Oliveira, Isabel Swan está em sua segunda Olimpíada e já velejou em um multicasco no começo da carreira, o barco era o Tornado, que já fez parte do programa olímpico. Já Samuca, é mais conhecido pelos bons resultados na vela oceânica, mas já velejou em classes olímpicas como a 470 e 49er e também está em sua segunda Olimpíada, ele participou dos Jogos de Pequim-2008 também na classe 470.

A dupla, que está velejando na classe há pouco mais de 1 ano, irá enfrentar grandes adversários como os tetracampeões mundiais Billy Besson e Marie Riou, da França.

O Nacra 17 é o maior barco do programa olímpico com 6,09 metros e área vélica de 14,45 m2. As regatas de hoje estão programadas para às 13h, na raia do Pão de Açúcar. 20 barcos estarão na água para o grande dia.

Grandes nomes da vela participam da chegada da chama olímpica ao Rio de Janeiro

13681090_10154543275320757_817978798167494116_n

A vela virou estrela nacional na condução da tocha olímpica pelo Rio de Janeiro. Após a participação de Lars Grael e Clínico Freitas na condução da tocha, ontem, em Niterói, hoje foi o dia da chama olímpica atravessar a Baía de Guanabara e chegar ao Rio de Janeiro. O trajeto foi feito em um barco a remo da Escola Naval e os irmãos Lars e Torben Grael foram os responsáveis por conduzir a chama durante a travessia. Lars, dono de duas medalhas olímpicas, foi quem entregou a chama ao prefeito Eduardo Paes. Torben Grael, dono de cinco medalhas olímpicas e maior estrela da vela nacional, também participou da cerimônia de entrega da chama ao prefeito.

Além dos irmãos Grael, outros grandes velejadores participaram da festa da chegada da tocha à cidade sede do maior evento multiesportivo do mundo. Clínio Freitas, Isabel Swan, Nelson Falcão, Marcelo Ferreira e Ronnie Senff  não esconderam a alegria de conduzirem a tocha olímpica durante o trajeto.

A jornada prestou homenagem ao primeiros velejadores brasileiros e à tradição da vela nas Olimpíadas já que o esporte é responsável pela conquista de 17 medalhas.

Confira as fotos da grande festa:

Meninas do Brasil conquistam duas pratas em Hyères

13123268_10154303507060757_9060415577084694762_o

A Equipe Brasileira de Vela conquistou duas medalhas de prata na última competição antes dos Jogos Olímpicos Rio 2016 em que o time esteve reunido. Neste domingo (dia 1º), Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan, na 470 feminina, e Martine Grael e Kahena Kunze, na 49erFX, garantiram o lugar no pódio após a disputa das regatas da medalha na tradicional etapa de Hyères (França) da Copa do Mundo da Federação Internacional de Vela (ISAF). Dos 15 velejadores brasileiros classificados para o maior evento esportivo do planeta, 12 competiram na cidade francesa.

Com o resultado em Hyères, a Equipe Brasileira de Vela agora soma 39 medalhas em etapas da Copa do Mundo desde o início do circuito, em 2009. São 19 de ouro, 11 de prata e nove de bronze.

Campeãs em Hyères em 2013 e 2015, Fernanda e Ana ficaram com a prata após o segundo lugar na regata da medalha. Elas encerraram a competição com 42 pontos perdidos, apenas um ponto atrás das campeãs, as britânicas Hannah Mills e Saskia Clark. As francesas Camille Lecointre e Hélène Defrance ficaram com o bronze, também com 42 pontos perdidos, mas perderam o segundo lugar para as brasileiras por terem chegado atrás na regata da medalha.

“Encerramos as competições internacionais este ano muito felizes, pois conseguimos ir ao pódio em cinco dos seis campeonatos que disputamos. Fizemos o nosso melhor nestes quatro meses e agora partimos para os ajustes finais para os Jogos Olímpicos do Rio”, afirmou Fernanda, dona de uma medalha olímpica de bronze em Pequim-2008, na classe 470 feminina ao lado de Isabel Swan.

Martine e Kahena repetiram a prata do ano passado. Campeãs em Hyères em 2014, as brasileiras ficaram em oitavo na regata da medalha, terminando na segunda posição geral com 74 pontos perdidos, apenas dois pontos atrás das campeãs, as suecas Lisa Ericson e Hanna Klinga. O bronze foi para as dinamarquesas Jena Mai Hansen e Katja Salskov-Iversen, com 75.

A Equipe Brasileira de Vela ainda disputou mais três regatas da medalha neste domingo. Jorge Zarif, na Finn, chegou em sexto, encerrando sua participação na sétima posição no geral, com 55 pontos perdidos. O campeão foi o australiano Jake Lilley, com 42.

Na RS:X feminina, Patricia Freitas chegou em quinto na regata da medalha, terminando a competição em oitavo, com 116 pontos perdidos. O ouro ficou com a polonesa Zofia Noceti-Klepacka, com 39. Na Nacra 17, Samuel Albrecht e Isabel Swan ficaram em nono na regata final, repetindo a colocação no geral, com 136 pontos perdidos. Os campeões foram os espanhóis Fernando Echávarri e Tara Pacheco van Rijnsoeve, com 77.

Não disputaram a regata da medalha Marco Grael e Gabriel Borges, que terminaram a 49er em 13º, com 153.20 pontos perdidos; Ricardo Winicki, o Bimba, que ficou em 14º na RS:X masculina, com 118 pontos perdidos; Fernanda Decnop, 28ª colocada na Laser Radial, com 159 pontos perdidos; e Bruna Martinelli, que terminou em 40ª na RS:X feminina, com 293 pontos perdidos.

Bicampeão olímpico, Robert Scheidt optou por não disputar a etapa de Hyères para focar na preparação para o Mundial de Laser, entre os dias 12 e 18 de maio, no México. Na 470 masculina, Henrique Haddad e Bruno Bethlem também não competiram. A dupla preferiu ficar no Rio de Janeiro treinando na Baía de Guanabara, palco da vela nos Jogos Olímpicos.

Brasil briga por dois ouros na final da Copa do Mundo

Na última competição antes dos Jogos Olímpicos Rio 2016 em que a Equipe Brasileira de Vela está reunida, o Brasil garantiu representantes em cinco medal races na tradicional etapa de Hyères (França) da Copa do Mundo da Federação Internacional de Vela (ISAF). A disputa por um lugar no pódio será realizada neste domingo, a partir das 6h (horário de Brasília), com transmissão ao vivo pelo canal da World Sailing no YouTube (http://bit.ly/1Tcko9e). Dos 15 velejadores brasileiros classificados para o maior evento esportivo do planeta, 12 competiram na etapa francesa.

Campeãs em Hyères em 2013 e 2015 na classe 470 feminina, Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan se classificaram para a medal race na terceira posição, com 38 pontos perdidos. Elas ficaram apenas quatro pontos atrás das líderes, as francesas Camille Lecointre e Hélène Defrance. Em segundo, com 35, estão as britânicas Hannah Mills e Saskia Clark.

“Estamos muito felizes pela nossa última competição internacional antes dos Jogos Olímpicos. Vamos participar da regata da medalha com possibilidade de defender nosso título do ano passado”, afirmou Fernanda, medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008, na classe 470 feminina ao lado de Isabel Swan. Na atual temporada, ela e Ana foram ao pódio em quatro das cinco competições que disputaram até o momento.

Na 49erFX, Martine Grael e Kahena Kunze, campeãs em Hyères em 2014 e prata no ano passado, passaram em segundo para a regata da medalha, com 58 pontos perdidos. Em primeiro ficaram as suecas Lisa Ericson e Hanna Klinga, que também somaram 58 e levaram vantagem sobre as brasileiras no critério de desempate.

Jorge Zarif também se garantiu na regata da medalha. Na classe Finn, o campeão mundial em 2013 se classificou em sexto, com 43 pontos perdidos. Em primeiro está o australiano Jake Lilley, com 28 pontos perdidos, em segundo o norueguês Anders Pedersen, com 35, e em terceiro o croata Ivan Kljakovic Gaspic, com 36. Como a regata da medalha tem pontuação dobrada, o brasileiro tem chance de alcançar o pódio.

O Brasil também terá representantes em mais duas regatas da medalha. Na RS:X feminina, Patricia Freitas passou em oitavo, com 106 pontos perdidos. A líder é a polonesa Zofia Noceti-Klepacka, com 35. Na Nacra 17, Samuel Albrecht e Isabel Swan ficaram em nono, com 118 pontos perdidos. Em primeiro passaram os britânicos Ben Saxton e Nicola Groves, com 73. Esta será a primeira vez que a dupla brasileira encerrará um campeonato internacional no Top10.

Não disputam a regata da medalha Marco Grael e Gabriel Borges, que terminaram a 49er em 13º, com 153.20 pontos perdidos; Ricardo Winicki, o Bimba, que ficou em 14º na RS:X masculina, com 118 pontos perdidos; Fernanda Decnop, 28ª colocada na Laser Radial, com 159 pontos perdidos; e Bruna Martinelli, que terminou em 40ª na RS:X feminina, com 293 pontos perdidos.

Bicampeão olímpico, Robert Scheidt optou por não disputar a etapa de Hyères para focar na preparação para o Mundial de Laser, entre os dias 12 e 18 de maio, no México. Na 470 masculina, Henrique Haddad e Bruno Bethlem também não competiram. A dupla preferiu ficar no Rio de Janeiro treinando na Baía de Guanabara, palco da vela nos Jogos Olímpicos.

No total em etapas da Copa do Mundo (desde 2009), o Brasil soma 37 medalhas, sendo 19 de ouro, nove de prata e nove de bronze.

Fonte: Assessoria

Fernanda Oliveira e Ana Barbachan assumem a liderança da Copa do Mundo

O terceiro dia de regatas da etapa francesa da Copa do Mundo de Vela foi excelente para a dupla Fernanda Oliveira e Ana Barbachan. Com um segundo lugar na única regata do dia, as gaúchas assumiram a liderança da competição na classe 470.

“Para mim está um pouquinho frio. Prefiro o Rio de Janeiro”, brincou Fernanda, que venceu a competição em 2013 e 2015. “Este é um evento muito tradicional aqui na Europa, bem famoso e a regata está sempre cheia de bons velejadores. Hoje estamos contentes, mas amanhã posso te dar outra resposta, já que a previsão é novamente de vento Mistral”, completou.

O vento forte que soprou na última semana deu uma bela diminuída tanto na quinta-feira quanto hoje e os velejadores chegaram a esperar um tempo em terra antes das regatas. Das duas programadas para o 470 feminino, apenas uma foi disputada.

Já as meninas do 49erFX conseguiram disputar quatro regatas. Martine Grael e Kahena Kunze subiram uma aposição e já aparecem em terceiro. As líderes são as suecas Lisa Ericson e Hanna Klinga.

Na Finn Jorginho Zarif também teve um bom dia, vencendo a primeira regata e somando um quinto na segunda. Com isso ele subiu para a sétima colocação. O líder é o australiano Jake Lilley.

Patricia Freitas, da RS:X, também aparece em 7º depois da vitória na última regata de ontem e um oitavo lugar na única regata do dia.

Samuel Albrecht e Isabel Swan disputaram quatro regatas na Nacra 17 e já aparecem no top 10, na oitava colocação. A fase classificatória termina neste sábado e os dois têm grandes chances de disputar a medal race, regata de pontuação dobrada em que participam apenas os dez primeiros colocados.

Para ver o resultado completo, clique aqui.

 

Hyères: Brasil aparece no top 10 em quatro classes

 

O segundo dia de regatas em Hyères, na França, foi bem diferente do primeiro, quando os velejadores que estão disputando a Copa do Mundo de Vela mais sobreviveram do que velejaram. O vento diminuiu bastante e as regatas começaram a ser disputadas com cerca de 10 nós. As gaúchas Fernanda Oliveira e Ana Barbachan, que foram muito bem no vento forte, inclusive vencendo uma regata, caíram uma posição neste segundo dia e agora estão em quarto lugar na classe 470. Apenas três pontos as separam das líderes, as inglesas Hanna Mills e Sáskia Clark.

Jorginho Zarif, na Finn, também caiu mas, na 13ª colocação geral, ainda segue na briga pelo top 10. Quem também está na briga pelos top 10 é Bimba, que ocupa a 11ª colocação na RS:X. Patrícia Freitas já está na zona da medal race, em 9º também na RS:X. Bruna Martinelli é 39ª.

Na Laser, Fernanda Decnop foi penalizada por um OCS, mas ainda assim subiu uma posição e aparece em 28º.  Entre os homens, o Brasil não tem representantes.

Na 49er, que já completou seis regatas, Marco Grael e Gabriel Borges estão em 25º. Os dois tiveram reparadas as duas primeiras regatas da série e não completaram a terceira. Entre as meninas, Martine Grael e Kahena Kunze aparecem em sexto lugar após quatro regatas. As líderes do ranking mundial estão voltando com calma para a água após uma lesão no joelho da Kahena.

Depois de não completarem a única regata de ontem, Samuel Albrecht e Isabel Swan aparecem em 10º na Nacra 17 com quatro regatas disputadas hoje.

Os resultados completos podem ser vistos aqui.