Organização divulga o AR do Brasileiro de MOCRA

Cartaz

Entre os dias 12 e 14 de outubro a FOCA (Flotilha de Oceano de Cabedelo) vai promover o Campeonato Brasileiro da classe MOCRA. Estão convidados todos os veleiros multicascos que estejam com o certificado em dia e que tenham pago a anuidade da ABVO. As inscrições podem ser feitas no Iate Clube da Paraíba e têm os seguintes valores:
Até dia 30 de agosto: R$ 100,00 por tripulante
Até dia 31 de setembro: R$ 120,00 por tripulante
Até dia 10 de outubro: R$ 150,00 por tripulante.

Três regatas estão programadas, com nenhum descarte. São elas:
1ª Regata – Iate Clube Jacaré – Boia 2 Porto de Cabedelo –Boia de contra vento e retorno.
2ª.Regata –  Iate Jacaré- Iate –Bessa-Iate Jacaré
3ª Regata – Iate Jacaré, boia nas proximidades de  Areia Vermelha-Iate Jacaré

Para mais informações, confira o Aviso de Regatas.

Mundial de ORC terá representantes de 19 países em Trieste, na Itália

mundial de orc 2017.jpg

Entre os dias 30 de junho e 8 de julho mais de 1500 velejadores estarão reunidos em Trieste, na Itália, para a disputa do Mundial de ORC. Ao todo 19 países estarão representados: Grã Bretanha, Alemanha, Ucrânia, Finlândia, Turquia. Noruega, Dinamarca, Holanda, Espanha, Estônia, República Tcheca, Malta, Croácia, Chipre, Áustria, Eslovênia e Itália.

Para este ano os critérios de quem poderia participar foram revisados, garantindo um nível de competidores mais alto. As classe B e C terão, juntas, 55 participantes, enquanto a A terá 17. As regatas serão disputadas em duas áreas diferentes no Golfo de Trieste e terão como sede o Porto San Rocco.

Para mais informações e resultados, acesse www.orcworlds2017.com

Torben Grael é campeão do Ubatuba Sailing Festival

A 8ª edição do Ubatuba Sailing Festival chegou ao fim nesta segunda-feira no Ubatuba Iate Clube após três dias de competição. E com apenas uma regata realizada com vento fraco os favoritos confirmaram o título. Na IRC o Argos, de Jaime Cupertino venceu a terceira regata consecutiva e levou o título para casa. Na RGS, Torben Grael, que contou com o reforço de sua esposa Andrea, levou a melhor sobre seu irmão Lars e ficou com o ouro. Na Bico de Proa o Sous Le Vent, do comandante Paulo Fonseca, também venceu as três e conformou o primeiro lugar. O evento também foi válido como primeira etapa do Campeonato Paulista de Oceano.

“O clube recebe a gente sempre muito bem. O lugar é muito bonito, as regatas são boas e bem organizadas e tudo isso faz com que a gente volte todo ano. Esta edição começou com um susto no primeiro dia com a ressaca e parecia que seria difícil fazer as regatas, mas no final deu tudo certo”, disse Torben Grael.

“Este foi o primeiro campeonato oficial do nosso barco. Fizemos uma clínica há uns dias atrás com o André Fonseca, o Bochecha, e estreamos em regata agora. O campeonato foi muito bom. Achamos que o vento ia estar mais fraco, mas felizmente deu para todo mundo participar e se divertir bastante”, disse José Antônio Bispo dos Reis, o Zequinha, timoneiro do Argos.

A previsão do tempo para esta segunda-feira (1) indicava ventos na casa dos 10 nós, porém, ao meio dia, horário que estava programada a largada da primeira regata, ele apareceu bem mais fraco. Com isso a CR comandada por Cuca Sodré conseguiu realizar apenas uma das duas regatas previstas para o dia. O campeonato terminou com três das cinco regatas previstas e sem nenhum descarte. Já em terra, os velejadores foram recebidos com um almoço de confraternização oferecido pelo clube durante a festa de premiação.

“O Ubatuba Sailing Festival está se firmando cada vez mais no cenário da vela oceânica brasileira. Estiveram presentes equipes de Ubatuba, Santos, Ilhabela, Angra dos Reis e Rio de Janeiro. Este ano o evento também foi válido como primeira etapa do Paulista de Oceano, que terá ainda etapas em Ilhabela, em setembro, e terminará em Santos com a tradicional Volta a Ilha dos Arvoredos em novembro”, disse Cuca.

“Esta edição do Ubatuba Sailing Festival foi muito boa. Tivemos diferentes barcos vencendo em cada categoria por conta do regime de vento, que foi um pouco mais fraco. Trinta barcos vieram até aqui nos prestigiar e outros tantos que não puderam vir nos ligaram pedindo desculpas, ou seja, este já é um evento que as pessoas já se preparam para participar durante o ano”, disse Julio Cechetto, Comodoro do Ubatuba Iate Clube.

Resultado final após três regatas:

IRC:
1. Argos
2. Rudá
3. Asbar

RGS:
1. Lady Lou
2. Nativo
3. Aries III

Bico de Proa
A:
1. Sous Le Vent
2. Futuro
3. Kakalê

B:
1. Sete
2. Coração
3. Folgado

O Ubatuba Sailing Festival é organizado pelo Ubatuba Iate Clube e conta com o apoio de V.Bros, Renew Boats, RBM Corretora de Seguros, Tintas International, Quantum Sails, Rádio Vozes.com, Revista Mariner, Farol das Tintas, Hotel Solar das Águas e Postos Flutuantes BR Mônaco e Ímola.

 

Ubatuba Sailing Festival começa com falta de vento e regata de percurso médio

 

O primeiro dia de regatas do Ubatuba Sailing Festival começou com chuva e sem vento algum. Os trinta barcos que disputam a competição realizada pelo Ubatuba Iate Clube esperaram quase uma hora até a largada da única regata do dia. As classes IRC e RGS contornaram a ilha do Mar Virado, enquanto a classe Bico de Proa fez um percurso menor, de 9,4 milhas náuticas (17 km). Depois de 2h40 de regata, o Argos, de Jaime Cupertino, foi o primeiro a cruzar a linha de chegada do percurso mais longo. O Smart, de André Brumer, foi o primeiro entre os barcos mais lentos. Continuar lendo “Ubatuba Sailing Festival começa com falta de vento e regata de percurso médio”

Ubatuba Sailing Festival reúne estrelas da vela oceânica Brasileira

11174691_818049864940600_2749203513965707487_o.jpg

O Ubatuba Iate Clube vai ser o point da vela no feriado prolongado do Dia do Trabalho. Isto por que entre os dias 28 de abril e 1º de maio o clube do litoral norte paulista vai sediar o Ubatuba Sailing Festival, tradicional competição da vela oceânica brasileira, válido também como etapa do Campeonato Paulista de Oceano. Nomes como Torben e Lars Grael já confirmaram a participação na competição.

“O USF é um evento que merece a atenção das pessoas. É um local central para quem vai do Rio de Janeiro ou de São Paulo, então dá para atrair as flotilhas do Rio, Niterói e Angra dos Reis e Paraty, bem como as flotilhas de Ilhabela, Guarujá e Santos. O clube tem uma excelente estrutura de apoio, uma hospitalidade que figura entre as melhores do Brasil e consegue promover um evento que tem uma ótima mistura entre a parte social e a competição. Vou velejar com o Tangará II, um Farr 40 de cruzeiro que corre na classe RGS. O nosso objetivo é confraternizar com os amigos de Ubatuba e de São Paulo”, disse Lars, um veterano no evento. “Eu participei deste evento nos anos 80 a bordo do veleiro Mano’s Champ e voltei há uns três anos no C30 Caballo Loco, do comandante Mauro Dotorri, sócio do UIC, com meu parceiro medalhista de bronze em Seul Clínio Freitas e com o Colin Gomm, que estiveram comigo nesta primeira competição. Há dois anos vim com o Tangará II e meu recado é: prestigiem o USF. Estivemos lá e garantimos que o evento vai ser muito bom!”, concluiu. Continuar lendo “Ubatuba Sailing Festival reúne estrelas da vela oceânica Brasileira”

Zeusé fita-azul da Regata Cidade de Florianópolis

unnamed (32).jpg

Com excelente presença da flotilha oceânica do Iate Clube de Santa Catarina a Copa Veleiros de Oceano teve início nesse sábado com mais de vinte barcos na raia da Baía Norte para a realização da Regata Cidade de Florianópolis. O evento que fez parte das comemorações de aniversário da capital catarinense foi realizado em condições de ventos sudeste/sudoeste entre 10-12 nós.

Comandado por Inácio Vandresen, a tripulação do Zeus Team foi a primeira a completar o percurso conquistando o troféu Fita Azul, além do título na classe C30, uma das mais competitivas da vela oceânica brasileira. A equipe do Zeus Team terminou a regata longa, que teve como dois triângulos e mais um barlasota contornando as boias sempre por bombordo, em 1h06min50s, pouco mais de um minuto à frente do Corta Vento, vice-campeã da classe C30.

O Absoluto, que retornou as competições na abertura da Copa Veleiros de Oceano, também fez uma excelente regata confirmando a vitória na classe ORC, andando sempre bem próximo aos dois barcos da classe C30. Enquanto isso, na classe IRC a vitória ficou com o Argonauta 4.

Uma das classes mais disputadas nesse sábado, a HPE-25 contou com vitória da tripulação gaúcha do Tereza. Apenas vinte segundos separou a equipe campeã dos catarinenses do Força 12, repetindo o bom duelo que as duas tripulações travaram durante o Circuito Oceânico da Ilha de Santa Catarina. Logo atrás veio o Arretado, completando o pódio.

Classe com maior número de participantes, a RGS A teve como vencedor o Plancton, comandando por Pedro Santiago, após correção de tempo. Em segundo lugar veio o Bruxo e em terceiro o Açores III. Na RGS B deu Euphoria.

Retornando as competições na Copa Veleiros de Oceano a classe Bico de Proa contou com a presença de duas embarcações e teve como vencedor o Sarangonha seguido por Zimbrox. Na RGS Cruzeiro A Taura I (1º), Morabeza (2º) e Quival (3º) subiram ao pódio, enquanto na RGS Cruzeiro B o título ficou com o Açores II enquanto o Vento Solar terminou em segundo.

A próxima etapa da Copa Veleiros de Oceano acontece no dia 8 de abril com a realização da Regata Fortalezas. Ao final da Regata Cidade de Florianópolis, as tripulações participaram de sorteios com premiações na Pousada Pedras Rollantes e no Café no Sítio.

Copa Cidade de Porto Alegre abre comemorações de aniversário da capital gaúcha

Velejaço da XXIII Copa Cidade de Porto Alegre pintou de cores a orla do Guaíba. Foto André Alves de Oliveira.jpg

Um final de semana perfeito para os amantes da vela. Com um belo céu azul e ventos que chegaram próximos aos 20 nós de intensidade, emoções não faltaram na XXIII Copa Cidade de Porto Alegre de Vela de Oceano, uma homenagem  à capital gaúcha, que no próximo dia 26 completa seu aniversário de 245 anos.  As três principais premiações da competição – troféu rotativo da classe ORC, troféu rotativo da classe RGS e barco Fita Azul (primeira embarcação a cruzar a linha de chegada no Velejaço) ficaram com o Clube dos Jangadeiros.  Prestigiaram a cerimônia de premiação autoridades como o vice-prefeito de Porto Alegre, Gustavo Paim, o Comandante da Capitania dos Portos de Porto Alegre, Amaury Marcial Gomes Junior,  e o representante do Governo Estadual do Rio Grande do Sul, o assessor superior da Secretaria de Turismo, Esporte e Lazer, Gelson Pires.

Mais uma vez, as imponentes embarcações de oceano pintaram de cores a orla do Guaíba com suas velas em trajeto que foi até a Usina do Gasômetro. O barco Hobart (vencedor na ORC), do Comandante Airton Schneider, o barco Caulimaran (vencedor na RGS), do Comandante Emilio Strassburger e o barco San Chico 3 (vencedor no Fita Azul), do Comandante Francisco Freitas, foram os grandes campeões.  

 “Estamos muito felizes em ter vencido a Copa Cidade de Porto Alegre depois de alguns anos sem o título. Para mim, essa vitória teve um gostinho especial porque pude velejar ao lado do meu filho, Artur, após um certo tempo sem competirmos juntos. Comissão de regata, Clube dos Jangadeiros, demais embarcações e tripulações estão todos de parabéns. Foi um belo campeonato”, declarou Airton Schneider, campeão da classe ORC.

Uma das grandes atrações da edição deste ano da Copa Cidade de Porto Alegre foi a presença do medidor chefe internacional da classe ORC-INT, o italiano Nicola Sironi. Graças a sua presença, o cálculo dos resultados das regatas pode ser transmitido ainda com os barcos na água, com muito mais rapidez. Sironi esteve na Capital para dar treinamentos aos medidores do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, além de disponibilizar o programa que elabora a fórmula matemática dos cálculos. Todo esse cuidado é necessário para garantir que se obtenha o resultado mais justo possível a cada regata, já que os barcos da classe não seguem um padrão.

“O Clube dos Jangadeiros se sente extremamente orgulhoso em patrocinar esta Copa Cidade de Porto Alegre, trazendo os velejadores dos clubes co-irmãos para celebrarmos o aniversário da nossa capital. Essa é a maneira que os iatistas, que tanto navegam no Guaíba, têm a agradecer a esta cidade, que de dentro das águas é ainda mais bonita”, encerrou o Comodoro do Clube dos Jangadeiros na cerimônia de premiação do campeonato festivo.

Confira o resultado completo:

Classe ORC

Classes RGS, J24 e MT19

Velejaço

Solitário

Itajaí Sailing Team recebe prêmio da Copa Brasil de Oceano

IMG_8680 (1).jpg

A equipe do Itajaí Sailing Team – time de vela que representa a cidade em competições nacionais – participa no próximo dia 23 de março, no Iate Clube do Rio de Janeiro, da entrega do prêmio da Copa do Brasil de Oceano 2016. A equipe venceu a competição na Categoria IRC. A solenidade será realizada no Salão Marlin Azul no Iate Clube, a partir das 19h. O prêmio será entregue ao técnico da equipe, André Bochecha Fonseca, e ao velejador Gastão Furlin, uns dos destaques da equipe e natural de Itajaí.

De acordo com Associação Brasileira de Vela Oceânica (ABVO), o Itajaí Sailing Team fez um excelente trabalho não só nas regatas, mas também fora delas. A equipe catarinense coordenada por Alexandre Santos deixou sua marca nas inúmeras ações sociais que fez por onde passou, levando livros e material escolar para as escolas públicas das cidades onde os principais eventos foram disputados.

De acordo com Alexandre dos Santos, 2016 foi um ano de grande realizações. A primeira delas foi a aquisição do novo veleiro, considerado um momento único para o projeto. “O segundo passo muito importante foi a formação de velejadores”, disse. A terceira realização do ano passado foram os resultados nas competições que a equipe participou. “O ITS sempre manteve a regularidade e isso fez toda a diferença, o que garantiu o título nacional, até então inédito na vela catarinense”, reforça.

O time, que compete num veleiro da classe Soto 40 com 10 tripulantes, participou das principais competições da vela oceânica do País no Sul, Sudeste e Nordeste. Foi campeão estadual da categoria IRC, venceu a Regata Marejada e ficou em 2º lugar na Regata Santos Rio. O projeto Itajaí Sailing Team tem o patrocínio da APM Terminals Itajaí, Portonave, Multilog, JBS, Brasfrigo e Poly Terminais, além de apoio da Anasol, Marina Itajaí, Molim e Clindex.

ABVO divulga calendário da Copa Brasil de Oceano

15220003_1293413167366663_5848435887923644216_n.jpg

A Copa Brasil 2016 foi um sucesso e visando melhorar ainda mais e incentivar uma maior participação dos barcos no evento, a ABVO divulga esta semana as regatas válidas para a Copa Brasil 2017. A novidade este ano fica por conta das regatas internacionais que possuem o Brasil como destino e que tenham barcos brasileiros competindo.

Podem participar da Copa Brasil todos os barcos de Oceano que sejam afiliados à ABVO e que estejam em dia com as classes ORC, IRC, RGS, Clássicos ou MOCRA. A forma de pontuação continua sendo a mesma, com o vencedor de cada etapa ganhando o número de pontos relativos ao número de inscritos. Barcos de fora da região onde acontece o evento ganham 2 pontos bônus, de fora do estado, 4, e barcos brasileiros em competições internacionais, 8 pontos.

No final do ano, o barco com maior pontuação nas regras ORC e IRC recebe o Troféu José Carlos Laport.

Para conferir o regulamento, clique aqui.

O calendário completo pode ser visto aqui.

Vendée Globe: Foresight Natural Energy perde o mastro a 700 milhas da chegada

Colman_Photo_9559.JPG

A Vendée Globe é daquelas regatas em que o skipper só pode ficar aliviado quando cruza a linha de chegada. Que o diga o neozelandês Conrad Colman, do Foresight Natural Energy. Faltando 794 milhas para a chegada em Les Sables d’Olonne, na França, após 97 dias no mar,no último sábado, quando navegava a 230 milhas da costa de Portugal, sob ventos de 30 a 35 nós,  três rizos na mestra e genoa 3, o mastro do barco veio abaixo. Ele não se machucou e não vai desistir da regata. A ideia é fazer uma mastreação de fortuna e seguir assim até o final. No momento ele navega a 0,5 nó.

Não completaram esta edição da Vendée Globe: Bertrand de Broc (Mascif), Vincent Riou (PRB), Morgan Lagravière (Safran), Tanguy de Lamotte (Iniciatives-Coeur), Kojiro Shiraishi (Spirt Of Youkoh), Kito de Pavant (Bastide Otio), Seb Jossé (Edmond de Rothschield), Thomas Ruyant (Le Souffle du Nord pour Le Projet Imagine), Stéphane Le Diraison (Campagnie du Lit), Paul Meilhat (SMA) e Enda O’Coineen (Team Ireland).

O vencedor foi Armel Le Cleac’h, do Banque Populaire, que completou a circum-navegação do globo em 74 dias, 3 horas, 35 minutos e 46 segundos, estabelecendo um novo recorde para a competição.

Para acompanhar o tracking da regata, clique aqui.